Equilíbrio e Saúde Mental em tempos de Coronavírus

Compartilhando o artigo Ansiedade por coronavírus: como enfrentar o medo e reduzir o estresse que escrevi para o site GreenMe. Nele apresentamos algumas dicas do Centro de Controle e Prevenção de Doenças para ajudar a manter o Equilíbrio e a Saúde Mental nesses tempos de Coronavírus.

Clique no link para saber mais!

Seguro-desemprego para o MEI, novas medidas anunciadas pelo governo

Diante da pandemia de Coronavírus, o governo anunciou novas medidas para proteger também os trabalhadores informais. Uma delas é o seguro-desemprego para o MEI (Microempreendedor Individual).Continuar lendo “Seguro-desemprego para o MEI, novas medidas anunciadas pelo governo”

Como lavar corretamente as mãos e usar o álcool gel para prevenir o Coronavírus

Lavar as mãos e usar álcool gel são hábitos simples que ajudam a prevenir a disseminação do Coronavírus. No entanto, poucos se atentam para a maneira correta de fazê-los.Continuar lendo “Como lavar corretamente as mãos e usar o álcool gel para prevenir o Coronavírus”

Assistência Virtual: alternativa de trabalho home office para prevenir o Coronavírus

Em tempos de Coronavírus, a principal recomendação da Organização Mundial da Saúde é a de evitar aglomerações e o contato físico com outras pessoas. Mas como fazer isso no ambiente de trabalho, por exemplo? A Assistência Virtual é uma alternativa de trabalho home office que ajuda a prevenir o Coronavírus. Veja o porquê.

Sobre o Coronavírus

O Coronavírus é uma doença respiratória causada pelo agente que leva o mesmo nome. Esse vírus não é tão recente como imaginamos, pois é conhecido desde 1960. O problema é que essa doença está causando pânico na população mundial, devido à velocidade com a qual vem se espalhando nos últimos dias.

A manifestação mais recente do Coronavírus aconteceu na China no final de 2019, por isso vem sendo chamado de COVID-19, do inglês “coronavirus disease 2019” ou simplesmente “Novo Coronavírus”.

A grande preocupação da população é que, além de ser transmitido rapidamente, o número de mortes causadas pelo Novo Coronavírus é muito alto. Sem contar os casos confirmados da doença que já atingiu o mundo inteiro, fazendo com que ela fosse declarada como uma pandemia, pela Organização Mundial da Saúde.

Como evitar o Coronavírus?

Uma das primeiras medidas adotadas pela China, na ocasião do descobrimento da doença, foi a de isolar a população contaminada e evitar o contato com um grande número de pessoas. Isso porque o Coronavírus é transmitido pelo ar, pelo contato com as mãos no rosto, nariz e boca.

Outras medidas de saúde e higiene também ajudam a prevenir a doença. Dentre elas as mais divulgadas são:

  • Lavar bem as mãos (ao tossir, espirrar, ter contato com outras pessoas, após utilizar o banheiro e antes de comer e beber);
  • Cobrir boca e nariz com lenço de papel descartável ou com o braço ao tossir ou espirrar;
  • Evitar o contato com outras pessoas.

Como a Assistência Virtual pode ajudar a prevenir o COVID-19?

Justamente pelo último tópico de recomendação dos órgãos de saúde: evitar o contato com outras pessoas.

No mundo corporativo, muitas pessoas ainda precisam se locomover utilizando transporte público ou compartilhado. Quando chegam no ambiente de trabalho, dividem o espaço com os colegas e ficam no mesmo local por um período médio de 8 horas por dia.

Nos últimos dias, temos visto nos noticiários países como a Itália, que também está em estado de alerta por causa do Coronavírus. Dentre as recomendações recebidas no país, uma delas é a de trabalhar de casa. Infelizmente nem todos conseguem, mas para muitas pessoas isso é uma realidade, inclusive para mim.

Para quem ainda não conhece, a Assistência Virtual é uma modalidade de trabalho remoto, onde as pessoas podem trabalhar em home office, ou seja, diretamente de suas casas. Esse tipo de trabalho é comum em boa parte do mundo, mas vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil, graças aos avanços da tecnologia e da era digital.

Importante! Assistente Virtual pode sim ter contato com as pessoas. O fato é que, tendo a oportunidade de trabalhar em home office, fica mais fácil prevenir surtos de doenças contagiosas.

Como me tornei uma Assistente Virtual?

Na verdade eu já trabalhava com isso e nem sabia! Enquanto eu ainda era Analista de Suporte trabalhando fisicamente para uma empresa de informática, comecei também a desenvolver um trabalho freelance como Redatora para o site GreenMe.

Até então eu ainda ia fisicamente para a empresa e dividia o espaço de trabalho com meus colegas. Exceto no trabalho como redatora, pois conseguia fazer em casa mesmo, utilizando apenas o meu notebook.

Com o passar do tempo, conheci o curso Como Ser Assistente Virtual, da Camile Just, onde ela ensina a trabalhar de forma remota, com as habilidades que já temos.

Nesse curso eu aprendi que, além do trabalho de redatora, eu poderia trabalhar com financeiro, atendimento, secretariado e até mesmo como Produtora de Conteúdo. Tudo isso de forma remota, utilizando apenas um computador com internet e telefone.

Foi então que, em 2018, decidi sair do trabalho físico e comecei a empreender como Assistente Virtual com foco em Produção de Conteúdo.

Essa mudança foi bastante providencial na época, pois me permitiu cuidar dos meus pais num momento delicado da família, mas isso eu conto em outros artigos.

O objetivo aqui não é fazer propaganda, mas sim chamar a atenção para mais uma funcionalidade da forma com a qual eu escolhi trabalhar.

Claro que a Assistência Virtual não resolve o problema do Coronavírus, pois sabemos que isso depende de uma série de fatores, principalmente das condições de saúde e da imunidade das pessoas. Por isso é tão importante levar a sério as recomendações da OMS, pois essa é uma doença que pode sim ser controlada com medidas simples.

Da minha parte, só posso dizer que fico muito mais tranquila por não precisar me expôr a esse tipo de situação… Pelo menos não mais por deslocamento em transporte público ou pelo contato com várias pessoas no ambiente de trabalho.

Ninguém está livre de contrair o Coronavírus, mas é possível sim evitá-lo, seguindo as recomendações de higiene e mantendo-se em um tipo de “isolamento temporário”.

Quer saber mais sobre Assistência Virtual?

Separei esse artigo aqui onde explico: O que faz um(a)Assistente Virtual?

Se quiser saber mais sobre o assunto ou mesmo se quiser dar sugestões de temas e tirar dúvidas, deixe um comentário abaixo.

Compartilhe esse artigo com quem possa se interessar pelo tema e obrigada pela visita! 😉

Reequilíbrio…

Estive ausente dessa página desde junho deste ano, pois passei e ainda estou passando por algumas turbulências após a morte do meu pai. No entanto, sinto que é hora de recomeçar. Confesso que não está sendo nada fácil recuperar a motivação, muito menos manter o foco, mas se eu realmente quiser fazer isso acontecer, preciso buscar o Reequilíbrio!

Quem acompanha esse site desde o início sabe que o intuito da Equilíbrio Assistência Virtual é ajudar as pessoas e empresas a equilibrarem seus negócios. Inicialmente eu tinha a intenção de atuar em várias áreas nas quais eu pudesse trabalhar de forma remota, mas depois resolvi focar mais em redação de textos e produção de conteúdo, pois gosto muito de escrever.

Devido à morte do meu pai e às outras adversidades que aconteceram no decorrer desse ano, perdi um pouco o foco e a motivação. Porém, no momento em que eu mais precisei, a empresa para a qual eu prestava serviços como Analista de Suporte me convidou para trabalhar com eles novamente. O melhor de tudo foi que eles aceitaram que eu trabalhasse em home office.

Tenho que admitir que voltar a trabalhar com suporte não fazia parte dos meus planos, mas se a empresa lembrou de mim para trabalhar com eles e aceitou minhas condições, por que não tentar? Além disso, aceitar essa proposta está me ajudando a equilibrar as finanças!

Para me adequar às novas mudanças, tive que deixar um pouco de lado a produção de conteúdo e focar mais nos chamados do suporte. Relembrei alguns treinamentos e comecei a atender os clientes remotamente. Na realidade, eu já fazia isso quando trabalhava fisicamente na empresa, mas só o fato de não ter o deslocamento no trânsito e poder fazer meus horários, já me deixa mais tranquila.

 

Analista de Suporte home office

Trabalhar como Analista de Suporte não é fácil, pois envolve relacionamento, empatia, dedicação, boa comunicação e paciência. Ainda mais quando a empresa para a qual prestamos serviço, é representante de outra empresa que é responsável pelo bom funcionamento do produto, no caso o software.

Falo do Grupo Repullo, empresa para a qual presto suporte sobre o sistema que ela comercializa, o Cigam. O que facilitou meu ingresso nessa área foi o fato de já ter sido cliente deles. De certa forma, eu tinha boa parte do conhecimento para entender como o sistema funciona e fui aprendendo aos poucos como ajudar os outros clientes.

Assim como toda e qualquer profissão, o Analista de Suporte precisa sempre se atualizar e nunca parar de aprender. Principalmente porque o sistema sofre atualizações constantes para se adequar tanto às mudanças legais, quanto às novas tecnologias.

Um exemplo de mudança tecnológica foi o fato do Cigam passar a funcionar na “nuvem”. Se isso não tivesse acontecido, eu não teria a chance de trabalhar da minha casa ou de qualquer lugar que tenha uma boa internet (como por exemplo na casa do meu cunhado,  por ser próxima do hospital em que meu pai fazia o tratamento contra o câncer).

A liberdade de trabalhar em home office proporciona Equilíbrio nas demais atividades! Pretendo equilibrar as duas áreas para voltar a trabalhar mais com produção de conteúdo, pois é algo que eu gosto mais de fazer!

 

Analista de Suporte e Especialista em Produção de Conteúdo

Paralelamente às atividades de Analista de Suporte, continuei produzindo alguns artigos pontuais para o site GreenMe, pois a colaboração entre nós é mútua. Nos momentos em que eu não estava me sentindo bem, não precisava produzir nada. Já quando eu me sentia melhor, avisava a redatora chefe e ela me passava alguns artigos para fazer.

A receita financeira como redatora ainda não é suficiente para que eu viva disso, mas por ser algo que eu gosto de fazer, acaba sendo uma atividade prazerosa. Mesmo assim, por conta do meu desequilíbrio emocional, tem dias que me sinto desmotivada para produzir, principalmente pelo fato de não gostar de publicar qualquer coisa.

Gosto de escrever, mas só tenho coragem de tornar público o que realmente faz sentido para mim. Esse também foi um dos motivos pelo qual eu parei de “alimentar” as redes sociais. Os algoritmos do Facebook, Instagram, LinkedIn, Google e afins, avisam a todo instante sobre a necessidade de postar alguma coisa.

Lógico que faz parte das técnicas de SEO ter uma constância na alimentação das redes sociais, bem como ter estratégia e organização para publicar artigos e postagens. O fato é que eu não concordo com isso e não sou obrigada a postar qualquer coisa só para alimentar os algoritmos!

Sim, isso vai contra a programação desses aplicativos, mas essa obrigação não faz parte dos meus objetivos pessoais e profissionais. Gosto de escrever quando tenho algo relevante para compartilhar e que condiz com meu estilo de viver e de pensar. Por isso que estou aqui em pleno sábado, escrevendo para meu próprio site…

Esse artigo pode até não ter muito sentido para alguns, mas creio que sempre tem alguém que se identifica com o que tenho para falar. Senti que precisava escrever sobre essa fase da minha vida e da Equilíbrio, pois além de ser uma forma de desabafar, ajuda a organizar as ideias!

Espero que tenha se identificado com algumas dessas palavras. Se surtiu algum efeito, curta esse post, compartilhe ou deixe seu comentário.

Sugestões também são muito bem-vindas! 😉

Equilíbrio x Dinheiro

Sua vida é equilibrada? Apesar do nome do site ser Equilíbrio Assistência Virtual, até mesmo a pessoa ou empresa mais equilibrada passa por momentos de desequilíbrio. Por isso, é muito importante estar sempre atento aos “pilares” das nossas vidas e dividir a atenção entre eles, com o intuito de equilibrar a energia que dispendemos para cada um desses segmentos.

No mês de Junho não consegui produzir um conteúdo próprio para o site, mas estive mergulhada em pesquisas e leituras, tanto para produzir conteúdos para minhas clientes, quanto para escolher sobre qual assunto estou mais familiarizada a falar aqui.

Eis que numa dessas leituras, me deparo com um artigo que fala justamente sobre Crescer na vida e ter sucesso com equilíbrio. Por este motivo, resolvi compartilhar aqui o artigo escrito por Leandro Avila. Para ler, clique nesse link e você será direcionado para o site original.

Os segmentos que Leandro cita no artigo, também estão no livro Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes, de Stephen R. Covey. Terminei a leitura desse livro recentemente, mas terei que ler várias outras vezes, pois o conteúdo é muito rico e precisa ser internalizado e praticado por toda a vida!

Quanto ao conteúdo desse site, assim como Leandro Avila explica no artigo:

“Sua vida é a sua obra ou sua sinfonia. Os músicos podem simbolizar as suas qualidades, conhecimentos, habilidades e valores internos que você poderá desenvolver com o tempo, treino e paciência. Também podem ser questões externas, relacionamentos e condições que precisamos desenvolver no ambiente. Quando existe o equilíbrio e o controle sobre cada segmento da vida, você consegue fazer com que todos eles se alinhem, realizando seus movimentos para realizar sua obra. O desequilíbrio em alguns segmentos da sua vida, será como músicos despreparados ou desafinados que produzem barulhos, ruídos e confusão durante as sinfonias da vida.”

Portanto, é preciso reger com maestria a orquestra da nossa vida para que tudo esteja em harmonia! Ou seja, assim que eu conseguir equilibrar a minha vida novamente, postarei um conteúdo próprio por aqui… Até! 😉

Autonomia Profissional e a Assistência Virtual

Apesar de estar em alta, o termo Autonomia Profissional é usado há bastante tempo em diferentes formas de trabalho, desde as convencionais até as mais atuais. Esse termo pode ser aplicado tanto para o profissional que trabalha em regime de subordinação, quanto para as novas modalidades de trabalho crescentes. Veja o porquê.

 

Autonomia Profissional e o Trabalho Convencional

No regime de subordinação, em que o profissional é obrigado a acatar as ordens de um superior, ter autonomia significa não depender de outras pessoas para tomar decisões que lhe cabem e resolver situações não tão graves. No entanto, isso não quer dizer que esse profissional não deva se reportar a um superior.

Já nas novas modalidades de trabalho, a autonomia profissional vai muito além de tomar sozinho suas próprias decisões, mas sim inspira as pessoas a buscarem as melhores soluções de maneira eficaz, sem precisar que alguém peça para fazê-lo. Para que isso funcione, é necessário que o profissional autônomo esteja em sintonia com as demandas que surgem, alinhando-as com suas afinidades.

 

O Profissional Autônomo

O profissional autônomo deve estar atento às necessidades das pessoas, sejam elas clientes ou não, bem como elaborar soluções e alternativas para que consiga ajudá-los.

Tudo isso deve acontecer em harmonia, sem que alguém o obrigue a fazer algo ou pressione para que o “serviço saia”. O que implica dizer que a Autonomia Profissional está diretamente ligada à liberdade criativa e às habilidades desse profissional.

Para alguns especialistas, a Autonomia Profissional é a ausência de controle externo, é ter autoridade para a realização de tarefas, seja individualmente ou em grupo, baseando-se em regras pré-definidas, colocando em prática as ferramentas aprendidas.

Nesse sentido, cabe ao profissional autônomo ou ao grupo no qual ele se encaixa, saber utilizar essas ferramentas com o intuito de desenvolver o trabalho de maneira eficaz, sem que seja necessário alguém dizer como deve ser feito. Em outras palavras, é o famoso: “Não importa como vai fazer, contanto que seja feito”.

 

Interdependência horizontal e ajuste mútuo

Aqui também cabe a questão da interdependência horizontal e de ajuste mútuo, citados várias vezes no livro Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes, de Stephen R. Covey.

Nesse livro o autor ensina com exemplos práticos e reais, como as pessoas conseguiram se autodesenvolver simplesmente tendo consciência dos seus valores, focando em seus objetivos e podendo trabalhar de maneira livre, levando o tempo que fosse necessário.

Em muitos exemplos citados no livro, as pessoas conseguiram atingir seus objetivos antes do previsto, só pelo fato de terem liberdade para tomar decisões. E o mais interessante: os melhores resultados foram obtidos em conjunto com pessoas que tinham os mesmos objetivos!

Esse é o método de trabalho que vemos em muitas empresas atualizadas com as novas modalidades profissionais. Elas encorajam seus colaboradores a tomarem iniciativas, a inovar, a trazer soluções que beneficiem não só às empresas, mas também aos próprios colaboradores, sem que haja um clima de competição entre eles.

Dessa forma, os colaboradores são incentivados a buscar soluções em conjunto. As empresas modernas e atualizadas valorizam amplamente o trabalho coletivo, pois elas sabem que em um ambiente colaborativo, existe maior cooperação entre os colaboradores e, consequentemente, diversos problemas de gestão e de relacionamento, são extintos.

Para que isso aconteça, é necessário que os profissionais envolvidos desenvolvam esse espírito de equipe, bem como sintam-se inspirados a participar de todas as atividades em conjunto. Essa pode não ser uma tarefa muito fácil, pois envolve personalidades diferentes, mas quando se tem um objetivo em comum, fica muito mais fácil conseguir a colaboração de todos.

 

Autonomia profissional e a Assistência Virtual

Quando comecei a escrever esse artigo, tinha em mente falar sobre a autonomia profissional relacionada apenas às novas modalidades de trabalho, assim como a Assistência Virtual. Porém, comecei a ler sobre o assunto e vi que tudo gira em torno do trabalho coletivo.

Por este motivo, tive que explicar o termo autonomia profissional ligado primeiramente às empresas convencionais, para depois falar da minha nova área de atuação.

No curso Como Ser Assistente Virtual, ouço muito sobre o tema Autonomia Profissional e cada vez que estudo sobre ele, mais quero aprender. Contudo, posso dizer que a Autonomia Profissional é um dos combustíveis da Assistência Virtual, pois além de criarmos o nosso próprio trabalho, temos a liberdade de escolher as melhores soluções para nossos clientes, com base nas ferramentas que aprendemos durante o curso. 

Tudo isso sem precisar que alguém nos controle o tempo todo ou exija como e quando devemos fazer o que deve ser feito. Ter autonomia profissional na minha área de atuação, me permite respeitar o meu ritmo, bem como aproveitar os momentos de criatividade. Sim, pois nem sempre estamos criativos…

E já que para o serviço ser eficaz, é preciso ter autonomia profissional, o que mais indico com base na minha pouca experiência empreendedora, é estar aberto para novos aprendizados e unir-se a pessoas com objetivos em comum. Dessa forma, ficará muito mais fácil desenvolver trabalhos de qualidade, bem como aprender com experiências alheias e compartilhar conhecimentos.

Eu como redatora, aprendo a cada dia com pesquisas, digitações e formatações de textos, artigos e posts para blogs e sites, mas sinto que posso ir além quando aprendo novas técnicas. Busco aperfeiçoar-me cada vez mais sem que ninguém me obrigue, mas sim vontade de aprender e por gostar muito do que faço hoje!

Por isso, desejo que mais pessoas consigam desenvolver sua autonomia profissional, a ponto de torná-las mais felizes e satisfeitas com seus trabalhos. Dessa forma, elas poderão contribuir não só para o desenvolvimento próprio, como também para o de outras pessoas!

Espero que tenha gostado desse artigo e se você chegou até aqui, comente o que achou do meu trabalho e no que posso melhorar. Sugestões de temas também são muito bem vindas!

Obrigada e até o próximo! 😉

Feliz Dia do Trabalho… Remoto!

Pela primeira vez estou comemorando o Dia do Trabalho de uma maneira diferente: com um Trabalho Remoto! Isso prova que, desde que o Dia do Trabalhador foi criado, muitos aspectos na forma de trabalhar mudaram e mudarão ainda mais!Continuar lendo “Feliz Dia do Trabalho… Remoto!”

Assistência Virtual: Gestão do Tempo, Relevância e Prioridades

Quando decidi me tornar empreendedora e mergulhar na área da Assistência Virtual, não tinha ideia do quanto esses pontos seriam fundamentais para mim: Gestão do Tempo, Relevância e Prioridades.

No começo, quando tudo é novidade, fui tentada a querer abraçar o mundo e estar por dentro de tudo para dar conta do que a demanda, que até então eu não tinha, poderia precisar.

Conforme fui estudando e ganhando mais afinidade com o nicho que escolhi para trabalhar, percebi o quanto é importante se especializar no assunto para conseguir a excelência.

Além dos estudos, para ser uma excelente Assistente Virtual, independente da área de atuação, é muito importante saber gerir o próprio tempo, focar no que é relevante e definir as prioridades do dia.

Apesar de serem tópicos diferentes, eles estão interligados e tem algo em comum: o Tempo. Esse recurso é cada vez mais escasso na vida das pessoas, mas se bem administrado pode render muitos benefícios e é sobre isso que quero falar.

Assistência Virtual e a Gestão do Tempo

A principal vantagem de ser uma Assistente Virtual, é a flexibilidade de horários. No entanto, se não souber gerir o próprio tempo, isso pode se tornar uma verdadeira armadilha!

Logo que me tornei uma empreendedora e comecei a trabalhar em casa, me vi um pouco perdida no começo. Isso é normal, uma vez que sempre trabalhei em ambientes corporativos e tinha uma rotina de horários.

Graças à capacidade de adaptação do ser humano, essa tarefa foi “tirada de letra” após alguns meses de organização, testes e observação pessoal. Sim, pois precisei observar uma série de fatores em mim mesma para conseguir organizar o meu dia.

Por exemplo, no início, queria acordar sem despertador, pois meu corpo fica melhor durante o dia. Acordava naturalmente, fazia minha meditação, tomava café, treinava, tomava banho e depois começava a trabalhar.

Com o tempo, meu corpo começou a ficar “preguiçoso” e eu comecei a acordar cada vez mais tarde, sem contar quando acontecia algum imprevisto para resolver e “quebrava” esse ciclo. Ou seja, minha produtividade caiu bastante e logo fui obrigada a remanejar a minha rotina.

Ora, mas se eu escolhi trabalhar de forma remota com flexibilidade de horários, por que eu tenho que me preocupar com isso?

Resposta: porque nosso corpo é uma máquina e precisa de hábitos regulares para funcionar como um reloginho!

Se deixamos que ele faça o que quer, ficaremos sedentários e improdutivos. De acordo com especialistas, ele foi feito para poupar energia. Isso explica o fato de eu levantar da cama cada vez mais tarde quando resolvi acordar naturalmente, sem despertador.

Para resolver esse problema, ativei novamente o despertador, mas dessa vez para acordar às 7h. Afinal, me recuso a acordar no mesmo horário que eu acordava quando trabalhava no mundo corporativo (6h… rsrs). O restante da rotina, seguia como relatei mais acima.

Pouco tempo depois, comecei a perceber que acordar às 7h ainda não estava resolvendo o meu problema de gestão do tempo. Eu tinha a sensação de que muita coisa já tinha acontecido nessa 1 hora que eu “perdia” dormindo.

Não era nada disso… Na verdade descobri que meu corpo se acostumou a acordar às 6h da manhã, pois fiz isso quase a minha vida inteira! E realmente, acordando nesse horário, tudo flui melhor para mim e eu consigo organizar melhor o meu dia.

Outra adaptação que tive que fazer nesse quesito, foi com relação à organização das minhas atividades. Após alguns testes, percebi que o período em que estou mais produtiva é na parte da tarde. Isso porque de manhã tenho um “ritual” com a minha saúde física e mental, bem como com a casa.

No período da manhã preciso de um tempo para acordar, meditar, tomar café com calma, treinar, organizar a casa e me preparar para o trabalho. Salvo algumas exceções, acabo realizando alguma atividade na parte da manhã, por exemplo quando o site para o qual eu trabalho solicita algum artigo com urgência.

Quando não há nada urgente para fazer no período da manhã, começo o meu expediente no período da tarde e vou até quando eu achar necessário. Procuro não ultrapassar o término das 19h, mas também para isso há exceções. Como também houve exceções em finais de semana e feriados, quando precisei fazer “hora extra” para cumprir com os compromissos assumidos na época.

Conclusão

A Gestão de Tempo para mim funciona da seguinte forma:

  • Acordar às 6h da manhã todos os dias;
  • Ler e Meditar;
  • Verificar se chegou alguma solicitação urgente;
  • Apreciar o café da manhã (deixa o meu dia mais feliz);
  • Movimentar o corpo (recomendação médica);
  • Organizar a casa;
  • Tomar banho;
  • Almoçar;
  • Trabalhar;
  • Jantar;
  • Descansar (essa parte anda um pouco negligenciada, mas vou melhorar).

Claro que, devido à flexibilidade de horários que tenho, posso inverter a ordem de algumas atividades e não ter horário fixo para cada uma delas. Mas, para que tudo flua bem e dê tudo certinho, preciso seguir essa sequência.

Lembrando que isso funciona bem para mim, pode ser que para outras assistentes virtuais essa rotina não se encaixe. Por isso, vai de cada uma fazer a organização do seu dia, sem deixar de ouvir o próprio corpo. Afinal, é preciso ter equilíbrio para ter qualidade de vida!

Relevância e Prioridades

Por que mencionei esses dois aspectos no título deste artigo?

Apesar de serem palavras diferentes, elas estão relacionadas com o tempo que gastamos para elas. Vou dar um exemplo prático: Redes Sociais e Produção de Conteúdo.

Para divulgar os serviços de Assistência Virtual, é muito importante saber o que está acontecendo nas redes sociais e quais as formas de atrair clientes para o negócio. Porém, se não tomar cuidado, essa “pesquisa de mercado” pode facilmente se transformar em PROCRASTINAÇÃO!

Sim! Essa palavra horrorosa tem um significado que anda de mãos dadas com a preguiça: “deixar para depois, adiar, postergar…” e por aí vai…

Por isso, é preciso ter um autocontrole muito grande quando se trabalha com redes sociais. Sofri com isso no começo, pois precisava saber o que estava rolando nos feeds, bem como aprender a lidar com a “concorrência”. Essa é outra palavra feia e que não se aplica às minhas colegas assistentes virtuais, pois estou aprendendo que muitas delas são parceiras e não concorrentes.

Diante disso, concluí que para evitar a procrastinação é necessário PRIORIZAR e focar somente no que é RELEVANTE para o meu trabalho e para a minha vida. Afinal, o conteúdo exposto diariamente na web é muito amplo e diversificado. Ou seja, é humanamente impossível acompanhar tudo!

Daí vem a afirmação mencionada no início deste artigo sobre querer abraçar o mundo… É óbvio que isso também é impossível!

Para eu me tornar uma boa assistente virtual, estou aprendendo a priorizar informações relacionadas às atividades com as quais eu escolhi trabalhar: Redação de Textos e Produção de Conteúdo. Consequentemente, busco informações relevantes sobre esses assuntos e não mais sobre todas as áreas que envolvem o ramo da Assistência Virtual.

Esse é um ramo que cresce a cada dia, pois cada assistente cria o seu trabalho de acordo com as habilidades que domina.

Além da Redação de Textos e Produção de Conteúdo, tenho habilidade para desenvolver serviços administrativos e financeiros, pois trabalhei com isso durante a minha vida inteira. Porém, ainda não tive a oportunidade de desenvolver esse tipo de atividade de forma remota, pois não foquei em buscar clientes para prototipar (testar meus serviços).

Para prototipar serviços administrativos e financeiros, tenho que definir um nicho que pretendo atender. Por exemplo: microempresa, profissionais liberais, comércios da região, ou até mesmo pessoas físicas que estão abrindo seus próprios negócios (MEI).

Como passei os últimos meses organizando a minha rotina e praticando o autoconhecimento, não era prioridade para mim correr atrás de mais responsabilidades. Foquei as minhas energias na gestão do tempo e me especializei no que eu já gostava de fazer.

O próximo passo é conseguir mais clientes no nicho que eu já trabalho e, se for relevante, definir um nicho diferente para desenvolver as outras habilidades, antes que elas “atrofiem”.

Esse artigo foi mais reflexivo e pessoal, mas acredito que servirá de exemplo para muitas assistentes virtuais que estão chegando no ramo. Afinal, Gestão de Tempo e Autoconhecimento também são “disciplinas” do curso Como Ser Assistente Virtual, o qual está fazendo muito sucesso com quem deseja trabalhar de forma remota!

Obrigada por ter acompanhado até aqui! Fique a vontade para curtir, comentar e compartilhar com quem deseja entrar para essa área, ou com quem precisa de ajuda para equilibrar os negócios! 😉

Especialista em Produção de Conteúdo

O trabalho de um produtor de conteúdo vai muito além do que escrever com suas próprias palavras. Produzir conteúdo, principalmente para a internet, envolve muita pesquisa e estudos.

Aprendi isso ao longo dos últimos 6 anos, quando criei o meu primeiro blog. Nessa época, vi que era possível me expressar para o mundo fazendo uma das coisas que eu mais gosto de fazer: escrever!

No entanto, quando se pensa em trabalhar com produção de conteúdo, é necessário muito mais do que o gosto pela escrita. Como na maioria das profissões, para que um profissional seja mais reconhecido e valorizado, é necessário ter pelo menos uma certificação na área.

Por este motivo, já que eu vi na profissão de assistente virtual, um nicho com o qual eu pudesse fazer da escrita uma profissão, vi que precisava me especializar. Para isso, busquei alguns cursos na internet e o primeiro que fiz foi o de Produção de Conteúdo da Universidade Rock Content.

Certificado Especialista em Produção de Conteúdo

Apesar de estar trabalhando remuneradamente como redatora desde janeiro de 2018, só agora resolvi me especializar. Tomei essa atitude após terminar o curso Como Ser Assistente Virtual, da Camile Just.

Além disso, outro motivo muito importante me fez buscar por este curso: o interesse da própria Camile nos meus serviços!

Depois que publiquei o artigo sobre Assistência Virtual Tendências 2019, em que utilizei o vídeo da Camile como referência, recebi um contato dela dizendo que ela adorou o meu texto e solicitou um orçamento para eu escrever no blog dela!

Fiquei muito feliz com a notícia! Por isso, tratei logo de me especializar para que eu pudesse entregar conteúdos de qualidade. 😉

Semana passada, era para eu ter feito uma postagem para o site da minha empresa. Devido às minhas novas atribuições, mudei os planos e me dediquei a elas.

Hoje, com mais calma, estou conseguindo atualizar a página da minha empresa. Por isso, vou deixar aqui os links dos posts que publiquei no blog da Camile, como forma de gratidão e também como divulgação do meu trabalho. Espero que gostem! 😀

 

Posts para o Blog Como Ser Assistente Virtual

Vagas de emprego para assistente virtual

Quem contrata assistentes virtuais?

Assistente Virtual: 5 tendências em 2019

O post abaixo é o primeiro de uma série de depoimentos das alunas em comemoração aos 2 anos de curso:

“O curso Como Ser Assistente Virtual era tudo o que eu precisava”

Nos próximos dias, serão publicados os demais depoimentos. Caso queira acompanhar, acesse: Como Ser Assistente Virtual Blog.

Obrigada e até a próxima! 🙂

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: